Dicas de Segurança – Faça você mesmo!!!

Cuidados com o DIY (Do It Youself) ou FVM (Faça Você Mesmo).

Ao fazer reparos em seu veículo, é muito importante a sua segurança, a das pessoas à sua volta, do meio ambiente e do seu veículo. Leia abaixo algumas dicas para aumentar a segurança nos trabalhos que serão realizados em sua casa.

Cuidados com o seu corpo: Corpo é um só, não é possível trocar e na maioria das vezes reparar partes “danificadas”, portanto todo o cuidado é pouco, atente abaixo para mais detalhes:

  • Pessoas que não estão acostumadas com ambientes sujos com óleo e graxa podem desenvolver alergias quando em contato com estes materiais, um bom creme (chamado luva química) aplicado um tempo antes nas mãos, irá protege-las por bastante tempo, tempo este suficiente para que as alergias fiquem longe de suas mãos.

  • Luvas de neoprene, apesar de não serem impermeáveis, podem auxiliar em muito em locais oleosos e engraxados, elas são anti-derrapantes e irão também “salvar” suas mãos, até mesmo de locais quentes (apesar de muitas não serem apropriadas para locais muito quentes – acima de 60 C).
  • Anéis, brincos e piercings devem ser removidos antes de se iniciar os trabalhos manuais, diversos casos de perda de dedo ou parte da orelha são relatados por mecânicos experientes, retire todos os metais do corpo antes de iniciar o trabalho.
  • Botas com biqueira de aço podem evitar danos aos dedos dos pés, no caso de se derrubar uma peça ou ferramenta pesada sobre ele.
  • Óculos protetores (link) devem ser usados sempre que forem feitos reparos embaixo do carro, um pedaço de barro ou até mesmo uma peça podem cair e, se acertarem o olho nú (ou mesmo um óculos de grau) podem danificar sua vista seriamente, evite isso, óculos de segurança custam muito pouco perto do dano em caso de não usa-los.
  • Ao terminar o serviço, lave as mãos com produtos de boa qualidade, a luva química colocada no início do trabalho provavelmente já terá sido absorvida pelo corpo, facilitando a limpeza, uma pasta de limpeza mal formulada poderá gerar a mesma alergia dos óleos e graxas existentes nos veículos.
  • Para evitar o entupimento do esgoto de sua casa, evite utilizar pastas que contenham abrasivos como areia ou pó de pedra, isso certamente causará problemas futuros.
  • Roupas largas e confortáveis devem ser usadas, lembre-se que se for usar tecidos em algodão natural, o líquido presente na bateria (solução de ácido sulfúrico em água) irá simplesmente fazer “desaparecer” pedaços inteiros do tecido.
  • Se for trabalhar sozinho, avise pelo menos uma pessoa o local onde será feito o reparo e o horário previsto para seu o término, peça à esta pessoa que o procure se o horário “vencer” nunca se sabe se um acidente pode o deixar impossibilitado de sair do veículo ou de debaixo dele.

Com o seu carro:

  • Procure iniciar o trabalho com o motor e outros componentes frios (pelo menos 3 horas depois que o motor for desligado, a menos que seja estritamente necessário) motor e componentes quentes podem causar sérios ferimentos (queimaduras) alguns locais podem atingir temperaturas muito altas (acima de 400 C como no coletor de escape por exemplo).
  • Se for fazer algum trabalho embaixo do veículo, tente fazê-lo em um terreno plano, deixando o veículo engatado e o freio de estacionamento acionado, se isso não for possível, calce duas rodas (ou pelo menos uma) em ambos os lados a fim de garantir que o veículo não sairá andando com você embaixo!

Repare no calço do pneu de um caminhão CAT (foto: Google Imagens).

  • Se for necessário levantar o veículo, e retirar suas rodas, não entre embaixo dele sem antes colocar pelo menos 4 cavaletes de tamanho e capacidade adequados (link) em locais separados, imagine que o veículo poderá se movimentar e cair em cima de você!

Como NÃO fazer. (fonte: Google Imagens).

Use cavaletes apropriados ao peso do veículo. Cadeira NÃO é cavalete. (foto: failblog.org)

  • Muitos 4×4 possuem diferencial central, sendo também providos de freio de estacionamento no eixo traseiro; por conta desta configuração, ao levantar uma roda, o freio (e toda a tração) será desviada para a roda que será elevada, fazendo com que o veículo ande e provavelmente caia do macaco.
  • Cuidado ao abrir as portas e levantar o veículo (especialmente as tampas que possuem estepe suportado por elas) ao levantar o veículo o ângulo do carro irá mudar e poderá bater a porta violentamente, causando danos.
  • Ao soldar alguma parte do veículo, lembre-se de desligar os dois polos da bateria, solda elétrica pode gerar transientes de corrente que podem queimar peças eletrônicas sensíveis (como alarme por exemplo).
  • Evite trocar óleo ou abrir partes lubrificadas em locais onde o solo estiver contaminado, pisos não cimentados (com areia por exemplo) podem prejudicar o dispositivo que será mantido. Um paliativo para este problema pode ser abrir uma lona plástica e colocar o carro por cima, isso evitará que a sujeira contamine os dispositivos que serão mantidos, evitando também a contaminação do solo embaixo do carro.
  • Use panos absorventes (ou papel descartável) para limpar áreas engorduradas, a chamada “estopa” deixa resíduos e fiapos, que costumam prender nos mais diversos dispositivos do seu veículo.

Com o meio ambiente:

  • Um litro de óleo pode contaminar mais de 1.000 litros de água! Quando trocar óleo de algum componente do seu veículo, cuide para ter o local adequado para descartar o óleo usado. Certifique-se de que a empresa que estará recolhendo o óleo usado irá mesmo dar o destino final correto para este produto.
  • A mesma coisa deve ser levada em conta ao descartar os filtros, como eles estão com óleo dentro, se descartados incorretamente irão contaminar o ambiente.

Coleta do óleo velho. O meio ambiente agradece (foto: Google Imagens)

  • Contaminar o solo é também um problema sério, evite sujar o chão embaixo do seu veículo em manutenção (ver item acima).
  • Panos e luvas também deverão ser descartados corretamente.
  • Com relação à estes assuntos (contaminação) é provável que o posto de abastecimento mais próximo de sua residência, pode auxiliá-lo na tarefa do descarte adequado de produtos contaminados.
  • Óleo contaminado pode ser facilmente reciclado, desde que seja coletado corretamente, gerando uma oportunidade de renda para os recicladores. Lembre-se que a responsabilidade pelo descarte correto e sua destinação final é da pessoa que gerou o lixo (ou seja, você!).
  • Não troque óleo mais vezes do que o necessário, devido à qualidade do combustível nacional, as montadoras recomendam a troca do óleo do motor na metade do período normal (comparando com a Europa Ocidental por exemplo) trocar mais vezes do que o recomendado é desperdício de dinheiro, sendo ambientalmente incorreto.
Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *